Quer programar um game e não sabe como?

Por Flavio Jarabeck

Bem, não precisa queimar as pestanas e inventar um “engine” do zero. Na verdade, você pode aproveitar o que muitos já fizeram e continuar (ou melhorar) algum engine existente. Isto se chama “colaboração”.

Aviso:Se você é um adepto dos programas .NET, esqueça! Estou falando de linguagens de programação REAIS! No mínimo C, e no máximo C++. Se quiser realmente aprender a programar games, comece certo!

— Ah, mas eu programo em C#? Não é a mesma coisa?
— NÃO!

C# é a linguagem C dos trouxas. Principalmente neste universo onde a produtividade do código produzido vale ouro. Me diga, em quais plataformas você conseguirá executar um código feito em C#?

— Eu vou te dizer: só em Windows! Dããã!
— E com muita dificuldade, no Xbox.

Um grande amigo nosso, que carinhosamente o chamamos de SonSon, uma vez nos disse, curto e grosso: “Já que vai fazer, faz direito!”.

Diferente do mundo físico e real em que você vive, onde pessoas sempre querem algum favor ou vantagem, o mundo “colaborativo” sempre recruta as melhores mentes ou os mais dedicados para continuar e perpetuar sua obra. E como se isso não bastasse, “eles” permitem ainda que qualquer reles mortal use sua criação “de graça”! É mole?

— Pois é, isto se chama colaboração!

Você deve estar se indagando agora: Isto não existe! (Ou coisa pior, o engine deve ser um me#@$)

Meu caro, se você não conhece o mundo das pessoas (sim, seres humanos!) que trabalham por amor ao que fazem, ao invés de trabalharem por dinheiro, então você precisa abrir esta sua cabecinha!

Tal como acontece nos dias de hoje com os milhões de desenvolvedores de soluções comerciais, que disponibilizam suas criações sob as liçencas GNU, GPL, etc… existem aqueles que se dedicam às empreitadas dos games sob este mesmo mote.

Conclusão: Você não precisa esperar a licença do Doom aparecer em Domínio Público para começar a construir o seu “tão querido game”. Mesmo porque ele estará usando um engine completamente ultrapassado. E ainda, se o seu game não tiver originalidade, nem com o melhor engine você terá sucesso. Não seja mais um nesse mercado…

Se tiver uma idéia genial, não importa o engine que utilize, o jogo será bem aceito. Agora, se você tem apenas uma idéia “mais ou menos”, talvez o seu “novo game” se salve utilizando um engine ultra-moderno. Não é regra, mas milagres acontecem todo santo dia. Mas não se esqueça de que um engine ultra-moderno custa, no mínimo, alguns bons milhares de dólares para licenciá-lo.

Portanto, se não quiser arriscar, e ainda contribuir com aqueles que trabalham “com o coração” (e não com o bolso), aí vai a dica da semana:

:: DevMaster

:: Genesis3D

:: Crystal Space

:: Irrlicht Engine

:: 3DDrome

:: Ogre3D

:: Sylphis3D

Estes são apenas alguns exemplos de 3D engines sendo desenvolvidos aí pelo mundo afora. Existem outras dezenas. Procure no Google por “3D game engine”, você vai se surpreender.

Mas antes de você sair programando, é muito saudável que você pense a história do jogo, faça um esquema tático e até um roteiro. Veja alguns exemplos abaixo.

Boa sorte e… full speed ahead!

34 Respostas to “Quer programar um game e não sabe como?”

  1. Anonymous Says:

    Mandou muito bem nessa

  2. Gabriel "Pato" Lima Says:

    Esse Jarabeck ama .NET =)
    haerhaerhaerhaer

    mando bem =)
    []s

  3. Anonymous Says:

    e esse desenhos ae, não entendi quase nada deles😦

  4. Flavio Jarabeck Says:

    Opa,

    Esses são exemplos de Storyboards de alguns jogos…

    Todo jogo, quando é planejado, é feito através de uma técnica chamada “Storyboard”. São desenhos feitos à mão livre mesmo, que captam um momento, uma cena, ou uma sequência de uma cena do jogo.

    Não precisa ser desenhista para montar o Storyboard do seu jogo, mas ele deve obrigatoriamente transmitir (inclusive para os demais membros da equipe de desenvolvimento e design) o quê exatamente quer se alcançar em determinada cena: ambientação, personagens, atitudes, acontecimentos, etc.

    Para entender mais, procure no Google por: Create game storyboards. Eis um exemplo de livro que por ajudar:

    http://www.dummies.com/WileyCDA/DummiesArticle/id-1490.html

    Abração!

  5. Victor Says:

    Nunca li tanto lixo em um lugar só =/

    C# nao foi feito para se fazer jogos, e mesmo utilizando a mesma para esse fim ela se sai bem em jogos simples.

    C++ é de longe a melhor linguagem para o game dev, e vocês ousam falar “no maximo C++”? Putz…

    Vai aprender o que é orientação a objetos, o que significa a palavra produtividade e depois volta a falar sobre DEV.

  6. Flavio Jarabeck Says:

    Autalmente existe uma legião de “desenvolvedores” que acham que só porque arrasam no .NET se metem em empreitadas solitárias tentando desenvolver games. Citei isso apenas como alerta, aos cada vez mais interessados nesse mundo.

    Sem sombra de dúvida as linguagens C e C++ são as mais indicadas e “abrangentes” que existem. Mas ainda assim, o C++, dependendo da plataforma e do hardware final você ainda enfrentará problemas de compatibilidade. Ou por que acha que é tão difícil, por exemplo, desenvolver software para a plataforma Mac OS?

    🙂

    PS: Ah, eu fui um dos pioneiros a difundir a Orientação a Objetos em Linguagens de alto nível aqui no Brasil , em 1991, quando cerca de 95% da indústria ainda utilizava a programação estruturada.😉

  7. Anonymous Says:

    mas a ling. orientada a objetos é pesadona né? to estudando isso na facu.

  8. Anonymous Says:

    Cara, estou impressionado com o material escrito! Não discuto a linguagem de programação, mas o roteiro é de uma empresa de software de verdade, não de fundo de quintal que tomou corpo e se mete a besta! Achei otimo o artigo e esta de parabéns.
    Marcelo Sousa
    Curitiba
    Xbox developer

  9. Anonymous Says:

    Olá pessoal.
    Estou pensando em entrar pra esse mundo de desenvolvimento de games, mas não sei se vale a pena… Tipo não conheço o merado e salários por exemplo. Alguém poderia falar sobre isso ?

    O Java é bom para criar games?

  10. Anonymous Says:

    É isso aí! Morte à Microsoft! C# é linguagem de trouxas! Onde já se viu isso? Long life to C++!

  11. WithOutNotion Says:

    C?C++? Isso jah eh ultrapassado.
    Concordo em dizer q as tecnologias .NET saum umas merdas, mas insisto que pascal eh uma linguagem de mais alto nivel que C/C++ e também deveria ser usada em Pascal.
    Quer fazer diferente, programe em pascal. Não seja mais um pobre programador em C/C++!

  12. Rafa Says:

    hahahahaha, esse coment aí em cima foi realmente engraçado. Mas aki, Flavio Jarabeck, gostaria de saber o q vc acha sobre a utilização de java na programação de games, q parece ser algo promissor; e com relação à compatibilidade, java simplesmente foi criada tendo como foco principal este conceito. flw espero sua resposta, muito obrigado

  13. flavio Jarabeck Says:

    Opa,

    Galera, é tanta coisa pra fazer que mal tenho tempo em responder a tudo…. Desculpem de antemão…🙂

    Apesar do estigma maléfico que o Java teve em seus primórdios – leia-se Java Applets – lembram dos applets bizzaros pra web que apareceram? – Com isso o Java ganhou a fama de ser pesado e detonadores de browsers. Quem já não teve om GPF por ter navegado em um site que usara um Applet Java, que só servia pra “animar” o logo? 🙂

    É claro que a “missão” do Java, bonita e altruista, não é verdadeira. Tive horrendas experiências com o tal conceito de “multi-palataforma” (vulgo, roda em qualquer lugar). Não é bem assim….

    Mas no mundos dos games, o Java é maravilhoso! Tem us games A-N-I-M-A-I-S! Quem duvidar, visite por favor o http://www.Pogo.com. Dêem uma olhadinha no que fizeram em Java: Need For Speed! É NEED FOR SPPED em Java! É fantástico! Quase Perfeito! Jogabilidade total!

    Vai ter que suar muito pra fazer isso em ShockWave!

    O que quero dizer com isso é: não importa o que você esteja querendo fazer, planeje primeiro, e estude as melhores alternativas pro teu produto ou game. Toda linguagem tem seu propósito! E digo com conhecimento de causa, programo desde os 14 anos de idade, já estou com quase 40 e a cada dia me surpreendo mais com as linguagens e tecnologias que aparecem a todo ano!

    Quem quer se aventurar no mundo dos games pra celular, primeira regra essencial: vejam o que está rolando no mercado. Estudem primeiro! Vejam as tendências. Observe se existe uma necessidade “latente” para “quais” coisas novas. Se for repetir o que já foi feito, no mínimo ela tem que ser estupenda! Caso contrário, não faça! Invente outra coisa! Algo que ninguém pensou! Ou mude algo ruim que alguém fez e faça do jeitinho que o público “espera querer”…. Esse é o segredo!

    Fiquem ligados para o movimento do Flash para aparelhos. Talvez seja uma boa. O ActionScript é fácil de assimilar e o potencial é enorme. Mais e mais aparelhos começaram a sair com uma versão “castrada” do Flash, mas pra quem o dominar bem, dá pra tirar água de pedra.

    Flash!? Não é ruim não? Ninguém vai querer comprar um jogo de Flash!

    Não?!

    Quer se inspirar em alguém que teve, não uma, mas várias idéias geniais?

    Falando a grosso modo, não deve ser nada inspirador um game que tem um monstrengo branco batendo com um taco em um pinguim… mas vocês já viu isso: http://www.yetisports.org/

    Jogos são como escrever livros: “Não existem histórias desinteressantes, o que existem são maneiras desinteressantes de contar histórias!”

    Abração galera!😀

  14. Jarabeck Says:

    Desculpem os erros de ortografia do post acima! Respondi isso em 5 min…😉

  15. Anonymous Says:

    Java + 3D Studio seria uma boa mistura para se criar um game ?

    E quando o site estará completo ?

  16. Anonymous Says:

    Olá…
    Alguém sabe como está o mercado de desenvolvimento de games aqui no Brasil ?

  17. Anonymous Says:

    QUE TRISTE!!!!!

    Primeiro, um post do sr. Flavio dizendo que “C# é a linguagem C dos trouxas”. Depois, outros comments de pessoas totalmente ignorantes a respeito de .NET, reafirmando a frase como se fosse a verdade absoluta.

    Eu ganho a vida há mais de 7 anos com programação. Já programei em Visual Basic, C, C++, Java e , por último, .NET. Gostaria muito de saber qual é a REAL diferença de linguagem entre C# e C++, por exemplo, que torna o C# uma linguagem “irreal”?!?!?! Eu vi em um comment de um defensor do C++ (e opressor do C#) escritas as palavras “orientação a objetos” e “produtividade”. Você já tentou comparar, de maneira imparcial, o ganho de produtividade que se obtêm programando em C#, em relação a C++?

    1) Não existem headers
    2) Não existe alocação / dealocação manual de memória
    3) Não existem ponteiros inválidos
    4) O Intellisense do Visual Studio.NET, graças ao Reflection que no .NET funciona de maneira excelente, aliado a ferramentas como Resharper, faz com que você diminua até 70% a digitação (ou quem programa em C++ não tem tendinite?)
    5) O .NET Framework oferece (já pronto, só usar) classes para Network, Threading, File I/O, criptografia, manipulação de strings, globalização (criar um programa já preparado para traduzir para várias linguagens) etc.. etc.. Sem ter que referenciar libs ou headers. E você também pode criar e reutilizar suas próprias bibliotecas, sem nenhum trabalho de “exportar” as funções, basta declará-las como public.
    6) RODA SIM em outras plataformas. O Mono já é uma realidade no Linux, porém nem todas as bibliotecas estão implementadas. Mas você pode, conforme o autor do artigo “sugere”, e utilizar a “colaboração”, usando seus skills no Linux para implementar partes faltantes do .NET Framework (o Mono é open-source). Mesmo assim me questiono: Se você vai desenvolver jogos para PC, para quê pensar em portabilidade em um primeiro momento se a esmagadora maioria dos micros do planeta rodam Windows/DirectX???? Garanto que o micro do autor do post também roda Windows… Gostaria de saber quantas companhias REAIS de desenvolvimento de software se preocupam em fazer todos os jogos rodarem em todas as plataformas? Tudo bem que, para quem tem Linux ou Mac isso não deve ser legal, mas… por isso eu não tenho Linux nem Mac..🙂

    Bem, agora realmente uma coisa não dá para fazer no C#, e que dá para fazer no C++: Colocar linguagem assembly no meio do código. Creio que isso invalida totalmente o C# como “linguagem real”, até porque garanto que todas as faculdades hoje em dia ensinam assembly…

    Agora a pergunta: Porque não são desenvolvidos tantos jogos em .NET?
    Resposta: PRECONCEITO, exatamente como o autor do post demonstrou, tantos outros pensam igual. Espero que a próxima geração tenha uma mente mais aberta.

    P.S.: Bela contradição hein sr. Flavio? Pois em seu post afirmou que

    “Se você é um adepto dos programas .NET, esqueça! Estou falando de linguagens de programação REAIS!”

    Porém em resposta a um comentário disse

    “Toda linguagem tem seu propósito! E digo com conhecimento de causa, programo desde os 14 anos de idade, já estou com quase 40 e a cada dia me surpreendo mais com as linguagens e tecnologias que aparecem a todo ano!”.

    Então surpreenda-se mais uma vez. Aprenda C#.

  18. [raptor] Says:

    Apenas para identificação, eu sou o autor do comment acima.

  19. Anonymous Says:

    C#.. linguagem de trouxas??
    do que vc está falando??
    Só por esta frase sua, é bem possível que nunca tenha programada em C# o suficiente para saber do que está falando..

    outra coisa.. acesse http://www.c-unit.com/tutorials/mdirectx e vc vai ver que “as merdas da microsoft” não são para trouxas, pois com C# e Managed DirectX vc pode criar uma engine simples num tempo muito curto sem dever nada a uma engine do mesmo porte feita em c++, porem o tempo que se leva para fazer em C++, será o dobro, sem duvida.. outro problema em C++ está nos ponteiros.. em C# vc tem muito mais facilidade para trabalhar pois está em um ambiente gerenciado.. então caso seja necessário usa-los, vc nao vai ter problemas.. mas eu vi que vc quis dizer que da pra usar engines prontas pra criar seus jogos.. é verdade.. da sim.. com C# é MUITO mais rapido e fácil.. pois vc não vai ter aquele monte de coisas pra linkar que ficam dando pau na aplicação.. é só adicionar a referencia para a engine e pronto.. mas blz… não vou discordar que C++ é a linguagem mais utilizada para desenvolvimento de jogos, pois é mesmo.. mas a EA ja tem dois projetos em andamento utilizando .NET

    quanto a ser multiplataforma, a novel esta bancando o mono, se vc não sabe ainda é uma especie de framework(assim como a .NET framework) que pode rodar em linux, windows, freebsd e etc..

    aprenda um pouco sobre .net antes de proferir comentarios bitolados da cultura open source.. não sou contra open source.. pena que a maioria dos usuarios de open source adoram falar mal da microsoft sem saber do que esta falando..

  20. Anonymous Says:

    Eu trabalho nesta area de desenvolvimento de software a mais ou menos uns 25 anos, já usei desde o famigerado Cobol e o Natural para Mainframes, como o clipper, C, C++, Basic, Pascal entre outras Acompanhei todo o desenvolvimento das linguagens como também o surgimento de outras, e sempre existiu esta espécie de bairrismo, uns são adeptos de uma linguagem e acho que as outras não vale nada, como quando surgiu a microinformatica, o pessoal do grande porte (Mainframes) achava que o pessoal que desenvolvia para PC não era programdor de “porra nenhuma” e etc…
    Então isto é bobagem, parece que o novo assusta.
    O importante é usar a linguagem que mais lhe agrada.
    O importante é o “toque “que o Flavio Jarabeck passou neste artigo e eu acho que ajudou muita gente. Obrigado Flavio Jarabeck.
    Abraços a todos.

  21. Ricado Luz Says:

    Vou repetir um comentário que fiz há algum tempo… JARABECK PARA PRESIDENTE. O cara é gênio… e provocativo, com certeza fez muita gente pensar. Até os bravinhos que não gostam de se identificar.

  22. Anonymous Says:

    FODA-SE a linguagem, eu quero que minha IDÉIA FLUA e se CONCRETIZE…
    E mais: são nas empresas de fundo-de-quintal que surgem as idéias mais inovadoras a partir do caos criativo que ela é submetido…
    Mania de brasileiro imitar estrangeiro…
    Ex.: Futebol — antes copiávamos tooooooooooodos os métodos de treinamento dos ingleses.
    Ganhava alguma coisa? NÃO! O método era errado pra NOSSA realidade.
    Aí o brasileiro encontrou o SEU MODO DE FAZER, com CRIATIVIDADE…
    É né… É isso ae.

  23. Flavio Jarabeck Says:

    Caceta, quanta celeuma eu causei!

    Só quis orientar essa galera que é quase desprovida de informação com relação ao mercado de games.

    Pouquíssimos são os que tem acesso (e GRANA) pra bancar uma faculdade ou estudos isolados no mundo dos games. E isso começa na família, acreditem se quiser. Se o pai “das antigas” de alguém souber que o filhote dele está estudando pra ser Game Designer, Game Developer, Field/Landscape Designer, etc, ele vai ter um treco e deserdá-lo.

    Para aqueles que vivem em uma bolha tecnológica e adoram o C# ou o .NET e conseguem seus resultados, OK. Concordo e apóio os SEUS resultados. Mas não tentem fazer com que os menos esclarecidos comecem, em primeiro lugar, com uma ferramenta paga.

    Pode ter muito software e rotina em .NET no sourceforge.net, mas o fato é: Se quiser programar em .NET, tem que pagar. E pagar o quanto eles pedirem.

    O que quis dizer com tudo aquilo que escrevi no artigo e nos posts é que, se vai começar algo, começe pelo lugar certo. E .NET, nem C# são os pontos de início! Deste argumento não abro mão! Me xinguem se quiser!

    Você tem o direito de saber COMO AS COISAS REALMENTE FUNCIONAM, ou vai ser mais um drag-and-drop-boy na vida! E isto não é bom quando se trata de concorrência profissional.

    É fácil programar sem alocar e desalocar memória! Preguiça? Comodismo? Produtividade? Não interessa. O ponto aqui é: você tem que conhecer como as coisas funcionam! Ou será mais um!

    É por isso que temos hoje que comprar placas de vídeo com Megas (e nos próximos anos, com Gigas) de memória só pra rodar os jogos novos.

    Hoje não se pensa mais em otimização de código! Se pensa em produtividade e que “porra, tenho que soltar este game em 6 meses, ou tô frito!”. É o mercado. Eu sei…

    E o usuário final que se dane! Ele que compre mais memória pra rodar o meu jogo!

    Quem por acaso é o infeliz que ainda não teve a benção de ter banda larga, e teve que baixar um programa de apenas 3MB!, porém, quando foi rodá-lo, descobriu que tem que baixar mais 24MB do .NET framework!

    Isso é um insulto ao usuário!

    Você quer ser uma estrela? Ou ou planeta rochoso, escuro, escondido atrás dela?

    Caminhos seguros nunca levaram ninguém a lugares novos. E isto é um fato. Incontestável. Bill Gates é um desses caras que nunca trilharam caminhos seguros. Aliás, já leram a biografia dele? O livro dele? Ou ao menos o maravilhoso filme “Pirates of Silicon Valley”?

    Vocês são consumidores de tecnologia!

    Querem ficar do outro lado?

    Aprendam como tudo funciona! Só aí escolham! Não tenham preguiça, ou serão mais um nesse mercado! E acreditem, ele é pequeno, apesar dos bilhões que ele movimenta todo ano. Seja brilhante! Destaque-se! Não se contente com menos!

    Inspirem-se!

    Conhecem John Carmack? Pois deveriam:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Carmack

    Estudem os grandes!

    São as idéias que movem o mundo e não o software que você escolhe pra desenvolvê-las.

    Abraços para meus amigos e inimigos!
    I Love You All!
    🙂

  24. [raptor] Says:

    Pagar?

    Você já utilizou o Visual Studio C# Express 2005, que pode ser baixado FREE, isso mesmo, FREE no site da Microsoft?

    E ainda existem outros IDE open-source, similares ao Eclipse, sendo desenvolvidos para .NET. Se você for purista, pode desenvolver em Notepad também (os compiladores e o SDK também podem ser baixados free).

    Quanto ao redistributável de 24MB, com o tamanho dos jogos chegando hoje a vários DVDs, creio que isso não chega a ser problema pois a maior parte dos dados serão texturas e geometria, se estivermos falando em um jogo 3D. Considerando que também, todos os computadores novos vêm com Windows XP, que já vem com o .NET Framework instalado, e que a grande maioria dos usuários de jogos (nosso público alvo) tem banda larga (ou será que o sr. Flavio usa 56k para escrever seus artigos?), também acredito que um download de 24MB não vai fazer mal, desde que você pese na balança o custo-benefício.

    Não sou contra absolutamente nenhuma linguagem. Como já disse antes, já programei e ainda programo de Visual Basic a C++. Se o melhor no seu caso é C++, use-o. Se é C#, use-o. Agora, já de cara, jogar para escanteio uma linguagem moderna e influenciar assim a cabeça das pessoas novas, que não conhecem a realidade, aí é muito xiita pro meu gosto…

    De qualquer modo, acho muito saudável a discussão e concordo com o “Prof. Jarabeck” em muitos pontos.

    Ah, e quanto a John Carmack, leiam a reportagem onde ele diz que o foco da idSoftware será Xbox360. Porquê? Um dos motivos:

    “Carmack also praised Microsoft’s development environment as easily the best of any of the consoles, thanks to the company’s background as a software provider.”

    Aqui estão meus dois centavos.

  25. [raptor] Says:

    O link da reportagem que citei acima:
    http://techreport.com/etc/2005q3/carmack-quakecon/index.x?pg=1

  26. Anonymous Says:

    Velho, vcs fazem uma multidão em uma barca furada… o importante se programar é dominar seja lá qual linguagem for… para estudo toda linguagem possui uma licença LE e devido a isso não ligue para o resto, entretanto, cuidado caso queira comercializar pos aki estamos falando de aprendizado então tanto faz aprender c#,c++,pascal ou qualquer outra coisa, simplesmente veja se é a linguagem que lhe agrada. Atualmente EU programa em java e para desenvolvimento de jogos estou me dedicando a java 3D mas nem por isso subjugo outras linguagem.. elas que se matem nessa concorrencia e que a melhor “sobreviva” pra que possamos utilizala…
    Acredito que um desenvolvedor deve ter somente o gosto pelo seu trabalho e não discultir linguagens pos elas vão e vem , sempre com melhorias…
    Por isso danense todas…

    Uma vez me disseram que “ninguem atira pedra em arvore que não dá fruto”.. pensem nisso!!!

  27. Anonymous Says:

    A proposito… muito bom esse artigo e feliz os que participaram de seus comentarios… FUI!!!

  28. Anonymous Says:

    Importante é a discussão entre os conhecedores de linguagem, pois até esses “criadores” precisam trocar idéias.
    Qual linguagem usar? Para que eu possa entender pelo menos metade do que voces estão discutindo preciso da mais facil e completa, pois nenhum nenem nasce e coloca-o no chão para andar, é necessário tempo para adaptações, aprendizados, aí sim escolher a bendita forma para se programar.
    A todos que compartilharam de suas experiências PARABÉNS, pois graças a vocês, posso agora iniciar minha jornada tb.
    Obrigado.

  29. Lightdi Says:

    Adorei Este artigo.
    Muito proveitoso e intereçante
    e sempre é bom ver pontos de vista diferentes, pois semprer lhe estimula a refletir.
    É aquela velhar historia ninguem sabe de tudo e umas das melhores formas de ampliar nossos conheciomentos e com o compartilhamento de informações.
    Foi muito bom ler os post de vocês,
    Valeu galera….

  30. foobar Says:

    Antes Assembly era a linguagem de programação, porém, não era portável. Então veio o C e você poderia usar um único source para diferentes OS/Plataformas. Em C e Assembly são feitas as linguagens de `Alto’ nível: C++, Java, C#, etc. Alto nível quer dizer mais facilmente compreendindo pelo ser humano. É engraçado como há uma briga no estilo: `Minha linguagem e’ melhor que a sua.’ Teoricamente, um coder hardcore, cria em C/Assembly o seu Java, C#, etc. Mas geek-coders nao tem tempo para ficar brigando, muito pelo contrário estão codando. Os comments mais engraçados são os que dizem: `Minha linguagem de alto nível é superior à linguagem em que ela foi criada’.

  31. Daniel9c Says:

    Caramba.. !! nao importa a linguagem… o que importa é se o jogo ficou jogavel e divertido.

    Mas se for iniciar no desenvolvimento inicie com c++ ou java.
    🙂

  32. Anonymous Says:

    Caro Flavio Jarabeck, você está equivocado quanto às informações sobre o C#. C# tem uma estrutura clara e didática, o que ajuda bastante na otimização de grandes projetos. Não quer dizer que ele seja melhor do que C++. Ele só não é ruim, como você afirmou.

    No entanto, o que realmente importa são as APIs que você irá usar no desenvolvimento dos jogos. Já ouviu falar no MDX (managed DirectX)? É um “wrapped” do DX para ambiente .NET, e é tão poderoso quanto o unmanaged DX. Experimente baixar o SDK do DirectX e dê uma olhada nos exemplos. Compare a performance dos executáveis feitos em C++ e em C#.

    Sou programador senior em C++, e não programo em C#, mas estou sempre em contato com desenvolvedores internacionais e posso lhe afirmar com segurança que “C# + MDX” é pacote extremamente poderoso para o desenvolvimento de qualquer game com elevada performance. Visite foruns internacionais mais consagrados e leia os comentários de desenvolvedores experts.

  33. adriano Says:

    Cara gostei muito do teu artigo sou estudante de informatica e me interesso muito por esta area e gostaria de ter ajuda de alguem com experiencia ja tenho procurado muito mas nao achei gostaria de saber se tu pode me ajudar meu email e adrianobragaalencar@gmail.com

  34. Anonymous Says:

    Caralho!! Nunca vi tanto babaca escrever tanta merda num lugar só!!

    MDR

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: