Passagem para o território inimigo

Escolha um exército, alemão ou aliado, uma função e entre em combate neste game sobre a 2ª Guerra Mundial

Por Rodrigo Martin

Para saber mais: Planet Territory

O ano era 1942 e o mundo vivia o auge da Segunda Guerra Mundial. Hitler com sua força nazista desafiava o resto do planeta e ameaçava os países com seu poderio e estratégia avançada. O radar Wurzburg, localizado próximo a Bruneval, na Normandia (França), auxiliava o exército alemão a prever ataques à costa e foi por esse motivo que as tropas aliadas decidiram criar a “Operation Biting”, responsável pela captura do radar.

Essa história é real e foi uma das ações estratégicas de sucesso dos aliados contra a ameaça nazista. Mas poderia ter sido diferente. A chance de a história ser mudada inexiste no mundo real, porém, pode acontecer no mundo virtual.

Wolfenstein: Enemy Territory é um game de tiro em primeira pessoa com uma premissa diferente de outros jogos do gênero, como Counter-Strike e Unreal Tournament. Em Enemy Territory você escolhe se pertencerá aos aliados ou ao eixo (os nazistas) para ir à batalha.

Enquanto em Unreal Tournament, tudo o que se mexe é alvo; e em Counter Strike tudo é polícia ou bandido, em Enemy Territory existem classes como médicos, engenheiros, operadores e, é claro, soldados. Cada uma delas com um papel importante a ser desempenhado nos mapas que remetem à Segunda Guerra.

Os soldados

Por incrível que pareça, soldado é a classe que menos tem atrativos num jogo como Enemy Territory. Matar é a única missão de um soldado, então personagens dessa classe vem despidos de qualquer habilidade especial. A arma e a precisão são os itens que definem a eficácia de um soldado no campo de batalha.

Os engenheiros

Talvez a classe mais desafiadora, os engenheiros são os que mais arriscam a própria pele para o sucesso de uma missão. Explodir paredes, construir estruturas, reparar veículos e armas. Na maior parte dos casos a vitória depende de um engenheiro, o que significa que, se você é novato, não se proponha a ser um deles, exceto se existirem outros para garantir o sucesso da missão.

Os médicos

Médicos, óbvio, têm como função impedir que soldados de seu pelotão morram no campo de batalha. O médico tem como habilidade a seringa e o kit médico. O kit médico repara pequenos danos dos soldados feridos, e a seringa reaviva o soldado que está prestes a morrer.

Os operadores de campo

Enquanto o soldado carrega armamento pesado, o “Field Op” traz consigo o apoio do exército. O operador pode pedir ataques aéreos e de artilharia, o que deve ser feito com cautela para não varrer, com isso, os seus companheiros de guerra – no chamado ‘fogo amigo’. As habilidades de operadores de campo são ótimas para áreas abertas, mas quando o ataque é entre paredes e telhados, ele pode se tornar presa fácil se não tiver por perto um soldado para ajudá-lo.

Os operadores secretos

Os “Covert Ops” são agentes especiais do Enemy Territory. Eles têm como habilidades especiais a precisão com armas de longo alcance, como snipers (franco-atiradors), e podem evoluir para sabotadores e assassinos, tão eficientes com a faca que podem matar com um só golpe.

Evolução

Outro grande diferencial para os jogos de tiro é a possibilidade de evolução, com um sistema parecido com de jogos de RPG. Evoluir não é se transformar num “monstro”, como em Pokémon, mas ganhar habilidades diferenciadas e mais mira.

Os outros jogos de tiro tem como única evolução a melhoria pessoal do jogador, mas em Enemy Territory, a personagem também evolui no mundo virtual, sendo capaz de realizar feitos diferentes através de habilidades melhoradas ou até mesmo novas.

A sua precisão aumentará e seus disparos ficarão mais letais, enquanto outros jogadores terão mais dificuldade de te derrubar.

A patente também existe em Enemy Territory. Você começa como soldado raso (Private / Schutze) e pode chegar até a general.

Como jogar

Depois de instalado o Enemy Territory, que exigirá de sua máquina cerca de 1GB de espaço (aproximadamente 300MB para instalação) você precisa encontrar um servidor, ative o “Punk Buster”, que funciona para impedir que usuários trapaceiem durante o jogo, e crie um perfil, que guardará seu nome no jogo, configuração do teclado e outros dados.

Criado seu perfil e ativado o “Punk Buster”, clique em “Play Online” para procurar um servidor. Existem servidores privativos, onde apenas quem tem password pode entrar, e existem servidores abertos, onde você poderá jogar caso ele ainda não esteja lotado.

Quando você conseguir se conectar à um servidor, a tela de “Limbo” aparecerá. Enquanto essa tela existir, você não está vivo no campo de batalha. É aí que você escolherá o lado pelo qual irá combater, a sua classe e sua arma. Para voltar a esse menu, basta apertar a tecla L.

Através da tecla G você pode acessar o mapa da missão, que traz marcações dos principais objetivos.

As teclas W, A, S e D, fazem movimentos para frente, esquerda, direita e para trás, respectivamente.

Outros comandos podem ser úteis no campo de batalha:

X – deita no chão
C – abaixa, se for mantido apertado com os comando para andar, seu soldado se moverá sem fazer barulho
Q e E – desloca o corpo para a esquerda ou direita, sem que você se exponha a uma situação de muito risco
Teclas numéricas – selecionam a arma ou item
Barra de espaço – pula

Como não jogar

A primeira vez que entrei no Enemy Territory consegui ir bem até a parte de me conectar no jogo. Não entendi claramente para que serviam as classes e tentei fazer como a maioria dos jogadores do mundo, descobrir na marra.

Fazer isso, sem o menor conhecimento, em um jogo de tiro online é suicídio, mas eu tinha que tentar. É óbvio que eu não passava de um peso para uma equipe composta de pessoas desconhecidas, e um trabalho eterno para os médicos da minha equipe. Pelo menos eu não tive a pretensão de pegar um cargo importante, e fiquei como soldado raso.

Na segunda vez, eu consegui me manter de pé, mas não por muito tempo. Com o auxílio de um amigo consegui sobreviver um pouco mais, até matá-lo sem perceber que era ele, e transformar a partida em uma bagunça. A bagunça chegou ao ponto de pedirem para que eu fosse retirado do servidor, e passada essa fase traumática, eu finalmente consegui entender como o jogo funcionava.

Compreender quem é amigo ou inimigo, a princípio, pode ser um tanto complicado e, na maioria das vezes, atirar em qualquer movimentação é a única saída.

Mas, isso não custa nada?

Teoricamente, não. Você não vai precisar pagar nada além dos custos de sua conexão para jogar. O game foi desenvolvido pela ID Software e disponibilizado gratuitamente.

Para rodar o Enemy Territory você precisará de uma boa máquina. No mínimo um Pentium III 600Mhz ou superior, com 128 MB de RAM, placa de vídeo 3D de 32 MB compatível com OpenGL, 800 MB livres em disco, modem de 56k ou superior (banda larga é essencial se você quiser jogar realmente bem).

Links relacionados:
Para saber mais: Enemy Territory

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: